quarta-feira, 24 de junho de 2020

Covid-19 Alimenta a industrias antimicrobianas Chilenas de Nano-cobre

Tintas, limpadores e sprays são alguns dos produtos que incorporam o material e estão sendo desenvolvidos por empresas Chilenas.

Há alguns anos, as empresas chilenas optam por agregar valor ao cobre, a principal fonte de moeda estrangeira no país, que se concentra principalmente em explorar suas propriedades antibacterianas e antifúngicas, capazes de atacar patógenos.

Os pesquisadores criaram nanopartículas do metal vermelho, que foram aplicadas em roupas, produtos de higiene pessoal, coberturas de móveis e até barras e suportes em hospitais e transportes públicos.

Hoje, no contexto da pandemia de Covid-19, o cobre foi colocado no radar mundial, não exatamente por causa das exportações, mas por causa de sua capacidade de conter o vírus. Ao processar o metal e gerar nanopartículas de cobre, permite entregar homogeneidade e, assim, criar uma barreira de maior
proteção.

Para as máscaras de cobre vistas hoje em dia, existem tintas, limpadores e aerossóis, entre outros produtos. Impregnação de cobre em tecidos e madeira. 

Nos Hospitais
"A ideia nasceu para resolver o problema de infecções cruzadas e intra-hospitalares, algo que apenas no Chile causa cerca de 300 mortes por ano e um custo para o governo chileno é de US $ 60 milhões".

Como primeiro produto final, eles decidiram incluir nanopartículas de cobre em tintas para uso doméstico e hospitalar, oferecendo "um escudo de cobre".

Mais tarde, depois de receberem um fundo para desenvolver a impregnação dessas partículas na madeira e hoje trabalham em detergentes, absorventes higiênicos, cremes e loções. "O produto forte que estamos vendendo hoje tem a ver com a impregnação têxtil de nanopartículas", diz o fabricante, assegurando que essa tecnologia transforma um tecido comum em um tecido inteligente. “É 'autolimpante' e higienizado. Com isso, criamos máscaras, aventais médicos, roupas de cama, o que
for ”.

Eles também vendem nanopartículas de cobre como matéria-prima para outras empresas e afirma que nos últimos dois meses as vendas para esse conceito cresceram entre 60% e 70%. "Antes não havia necessidade e agora todo mundo quer cobre."

Por esse motivo, eles estão avaliando o aumento de sua produção de três para cinco toneladas mensais de nanopartículas de cobre para dez. A matéria-prima e seus produtos finais já estão sendo exportados para países como Estados Unidos, China, Dubai, México, Peru e Argentina, e estão em negociações para adicionar mais mercados.

A porcentagem de nanopartículas de cobre nas vendas totais antes da pandemia “estava entre 35% e 40%. Hoje, chegou a 95% ”Os principais produtos finais desenvolvidos no estágio Covid-19.

O primeiro, lançado no início de abril, é um spray de álcool a 70%, com nanopartículas de cobre, mas  com "tamanho de bolso", para desinfetar superfícies e itens pessoais.

O segundo é um detergente adequado para superfícies como pisos e paredes, que mantém "a barreira de proteção" por até duas semanas. Estão focados em tudo que tem a ver com o Corona-Vírus.

Importante que não apenas lute contra o Covid-19, mas também que as cargas bacterianas e outros vírus no ambiente caiam, para que o corpo esteja 100% preparado para combater o coronavírus em caso de contágio.

Existem produtos de limpeza, desinfetantes e tintas para piscinas impregnados com nanopartículas de pureza de 99,98%. E

Existem novos produtos de pesquisas na área de microbiologia para tratamentos de água do mar com nanopartículas de cobre, para eliminar bactérias produzidas nos tubos.

Fonte

Jornal Financeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário